All for Joomla All for Webmasters
Tecnologia

7º Meetup de Node.js no Tecnopuc

eu focadíssima no insta pra postar bastante coisa do evento s i m

Eaêeeee galera! Venho aqui mais uma vez abordar outro Meetup: mas dessa vez foi o de Node.js! O evento rolou na ThoughtWorks, que fica na Tecnopuc.

Primeiro vamos divulgar e enaltecer o espaço da Thoughtworks: já me senti em casa quando entrei lá. Placa de meme na entrada, uma sala com vários cartazes sobre representatividade na programação… fiquei fascinada com o espaço. Uma empresa dessas apoiando um evento desses, bicho?

Mas aí teve alguém mais legal ainda que patrocinou o evento: a Umbler! Isso mesmo, a selva do meu coala favorito se puxou e deu uma baita ajuda pra galera realizadora do encontro. Teve sorteio de brindes como camisetas e adesivos. O mais bizarro é que eu fui sorteada duas vezes para a mesma camisa da Umbler. E aí não teve jeito, né? Levei hahahahaha

Ganhei uma igual! Não é linda? aaaaaaaa

Essa foi minha primeira camisa na Umbler <3

Vamos falar sobre o evento? Infelizmente por uns probleminhas técnicos (que foram resolvidos genialmente, conto depois), só houve duas palestras. Começamos com o tema Cross Platform Desktop App’s with Electron, que foi ministrado pelo Jonatas Freitas.

O Electron é uma ferramenta incrível que permite o desenvolvimento de apps para desktops usando programação frontend (Javascript, HTML e CSS) de forma simplificada. Foi criado pelo pessoal do Github e anteriormente tinha outro nome (Atom Shell). Uma das tecnologias base do Electron é o Node.js. É ele que prepara a estrutura para receber a programação frontend, como se fosse um quadro branco. Ele está ali, vazio, e você começa a customizar a medida que vai codando. Alguns dos grandes cases feitos em Electron são o aplicativo desktop do Slack e o Visual Studio Code.

Foi comentado na palestra que apesar do Node.js dar uma performance incrível para o programa, muitas vezes isso não é bem trabalhado, como é o caso do Slack, que é um pouco lento em alguns processos. Mas vale destacar que isso não é culpa do Electron, hein?

A instalação do Electron é muuuuito simples. Basta dar aquele npm install pro pacote do Electron que você baixou! Depois, tem que colocar a mão na massa e começar a programar. Como foi criado pela galera do Github, ele é opensource e você pode colaborar com eles. Os números das colaborações são expressivos, o que mostra a potência do Electron no mercado. Conforme conversamos no Meetup, é uma ferramenta muito utilizada mas pouco falada.

Tivemos posteriormente a palestra do André Werlang sobre Multi-processos no Node.js. Deu uma atrasadinha porque o cabo HDMI estava com problemas e não conseguia passar imagem pro slideshow. E o que foi feito? Abriram uma chamada de vídeo no Hangouts entre dois PCs, compartilharam tela e ficou mostrando em um PC o que tava no outro de slides e códigos HAHAHAHA Eu achei genial, desculpa.

O André já compartilhou o conteúdo da palestra no evento, em que ele falou basicamente da utilização de clusters no Node.js. Foi abordado inicialmente como funciona a arquitetura do Node para depois entrar com tudo na questão dos clusters. Das vantagens, a principal é que quando uma aplicação com clusters cai ela automaticamente já sobe de novo, impedindo que fique “fora do ar”, por toda a relação hierárquica entre processos (o master e os workers, que são filhos do master). Só isso já é mais do que o suficiente de motivo pra utilizar clusters, não?

Fazendo uma comparação entre um processo filho comum e um cluster, o processo filho cria qualquer processo, enquanto o cluster trabalha com uma cópia de um único processo de Node. O melhor de tudo isso é que ele é nativo do Node, sem necessidade de utilizar o comandinho npm install e baixar pacotes.

Também foram abordadas questões de debug do código, utilização dos processos nas APIs e algumas alternativas ao cluster, que seriam o forever e o pm2. O forever acaba deixando a aplicação fora do ar enquanto ela sobe de novo, e o pm2 é mais sofisticado que o cluster. Você pode ver mais coisas da palestra através dos slides disponibilizados pelo André aqui.

Depois disso, tivemos a melhor parte de todo evento de TI, claro: o coffeebreak (que foi mais um dinnerbreak hahaha) com várias pizzas e ainda o sorteio de ingressos para o TDC, que vai rolar aqui em Porto Alegre. Se você não sabe o que é TDC, pelo amor de Umblerito clica aqui.

Achei um amorzão o evento todo. Foram até pessoas de outros estados, porém algo me deixou bolada como o de sempre: a presença praticamente nula de mulheres em eventos de TI. Isso porque a galera do Node.JS estava disponibilizando 50% das vagas para mulheres. Porém, infelizmente não dá para colocar mulheres em eventos se elas são tão escassas já nesse ramo :( Sem dúvida esse tipo de situação me faz pensar no quanto precisamos de um trabalho de formiguinha para mudar esse cenário, e como cada mulher programadora, que trabalha com redes ou qualquer outra parte de TI é importante nesse processo, seja se envolvendo socialmente ou simplesmente sendo uma mulher de TI. Cada ponto conta. Pois no fim das contas…

Termino o post com essa reflexão e… tem BrazilJS amanhã YASSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS

Fuiê!

You Might Also Like