All for Joomla All for Webmasters
Buscando tag

eventos

Eventos Tecnologia

Front In Poa 2017

eu compenetradíssima na miga huahuahuahuahuhua

Depois de tanto tempo resolvi dar o ar da graça no blog, hahahaha O pior de tudo é que já estamos em 2018! Não tenho vergonha nessa cara, mesmo!

Mas o evento foi tão bom que dá pra falar dele depois sim. Estamos falando do Front In Poa, um evento organizado pela Nasc, os mesmos organizadores da BrazilJS – o maior evento sobre Javascript do mundo. Quem bola todo esse plano genial são três caras: o Jaydson Gomes, o Felipe Moura e o Gabriel Novaes.

Conheci o Gabriel no Tchelinux Poa e, o que mais me admira nessas pessoas, é que quanto maiores os planos, maior a humildade. Super acessível, começamos a conversar e descobri que ele trabalhava na Nasc. Daqui a pouco, surge a Débora Duarte no meio do papo, uma amigona minha de mundo women in tech ♥ e o papo deslanchou. De repente, foi comentada sobre a vaga em um horário x na grade e que eles estavam procurando pessoas com urgência, afinal, o evento era uma semana depois do Tchelinux. E poxa, tinham duas palestrantes na frente dele! Hahahahah Que tal bolarmos algo juntas? E dessa conversa descontraída, surgiu a nossa ideia (minha e da @deboracardu) de fazermos uma apresentação juntinhas no Front In Poa.

YAAAAAAAS! E aí, como é que foi? Bom, aí é que a gente ficou pensando igual umas lontras o que a gente ia falar, e não conseguíamos pensar em nada (hehe). Depois de muito custo, pensamos em falar sobre algo que não conhecíamos, para nos forçar a aprender. Então, resolvemos falar sobre Vue.js (que inclusive conhecemos uma maravilhosa que manja muuuito, que é a Milene Lacerda).

Nossa palestra foi sobre como construir um site em 10 minutos com Vue.js. Ficamos noites e noites conversando, pesquisando, juntando partes de uma e de outra nas apresentações, etc. A gente queria fazer live code, aí live code não ia dar mais… era em cima da palestra e estávamos identando código (valeu Diogo maridão da Debs hahahaha). Foi uma loucura! Naquela época eu nem tinha meu notebook ainda, então eu me debruçava na apresentação após o meu horário de trabalho. Cheguei a sair daqui de Gravataí uma vez às 20h30 e ainda tendo que ir até Porto Alegre (são mais de 30km daqui onde trabalho até minha casa) de ônibus. Pra quem não tem muita noção de distâncias assim, é realmente beeeem longe. É como ir da capital quase que ao interior do estado.

Como foi? Um sucesso! Recebemos muito amor! Conheci através da palestra pessoas maravilhosas e feedbacks muito importantes. Foi muuuuito bacana sentir a vibe de palestrar ao lado de uma mulher. É incrível como nos sentimos mais seguras. Era só eu olhar pra cara da Débora que tava tudo bem. Tudo fluía muito bem!!! A gente tinha uma sintonia ótima pra apresentar (e não ensaiamos uma única vez juntas absolutamente NADA!). Simplesmente colocamos a cara a tapa e fomos!

Pra quem quiser saber exatamente o que falamos, seguem aqui os slides:

http://slides.com/deboraduarte/deck-11#/4

E aqui temos o repositório no github onde fizemos toda a palhaçada.

https://github.com/camilla-m/vuejs-com-a-debs/

Tem também o site ao vivo:

http://palestrasfrontinpoa.tk

Quanto ao restante do evento, nem preciso dizer, né: pessoas maravilhosas, um evento incrível, fizemos um networking incrível, conheci gente nova, vi palestras e trajetórias de vida super bacanas e na finaleira ainda teve um happy hour nota 10 ♥

Obrigada @deboracardu pela colaboração linda com esse post ♥

Tecnologia

Insiter: You inside the web!

essa foto definitivamente não está boa hahahaha

E aí pessoal, tudo bem? Vou falar um pouco hoje sobre como foi o evento de sábado passado (02/12), o Insiter!

O foco do evento era desenvolvimento web. Fiquei sabendo em cima da hora sobre o acontecimento e me surpreendi com a grade! Muito boa! Então o pessoal da Umbler, como bons patrocinadores, tiveram a oportunidade de ir e conhecer mais do projeto.

Comentarei um pouco das minhas palestras favoritas com vocês :)

O evento começou com Ícaro, diretamente da Globo.com, falando sobre como eles utilizam o Twitter nas coberturas ao vivo. É muito mais simples para a Globo.com utilizar tweets do que posts de uma plataforma própria, pois eles não precisam se preocupar com questões de servidor (espaço, RAM, etc). Porém, eles tiveram vários problemas até encontrarem um modelo de projeto ideal (e estava passando tudo isso para nós).

Eles conseguem também uma conexão maior com os leitores, visto que eles rastreiam não apenas os jornalistas e famosos, mas também as hashtags que estão sendo postadas. Muito massa, né?

Depois graças a deussss rolou um coffeebreak porque eu estava morrendo de fome. E que coffeebreak, hein pessoal?

Depois do coffee rolou uma palestra da Carolina Campos, que já me é familiar do BrazilJS: ela falou sobre arquitetura serverless. Foi uma palestra muito bacana e, pra mim, mais legal ainda que a do BrazilJS, que tinha sido sobre microsserviços. A Carol faz parte de uma empresa que está integrada a um projeto do Itaú, chamado “Cubo”. Dentro deste projeto, existem várias startups que têm por desafio construir projetos com tecnologias inovadoras. A Carol está codando bastante com BAAS (Backend as a Service), FAAS (Function as a Service) e trabalhando com ferramentas da AWS como o DynamoDB e o Lambda. O mais bacana destas ferramentas é que você literalmente utiliza o que processa. Um exemplo prático disso é que as funções que ela joga na AWS Lambda só são cobradas o processamento. Então se a função só rodou uma vez no dia, só é cobrada aquela vez no dia.

Tecnologias que só pagamos o que usamos são muito top, né? Isso me lembra a Umbler ;)

Uma outra palestra que me chamou muito a atenção foi a do Matias, sobre uma tecnologia chamada Flow. Não, não estamos falando do funk.

Flow é um “tester” pra Javascript, para testar as funções. O flow é uma biblioteca muito simples, editável e que roda exclusivamente localhost. Você seta o que tem que vir nas funções e, ao rodá-lo junto com seu código, ele verifica se o que está vindo de parâmetro está correto. Por exemplo:

Existe uma função myfunction que recebe como parâmetro exclusivamente dois números. No flow, você escreve que esta função tem que vir dois números. Se em algum momento do projeto os parâmetros são um número e uma string, o flow vai apontar erro antes mesmo de isto ser feito deploy e ir para produção :)

O Javascript é uma linguagem de tipagem dinâmica. O flow “força” a tipagem, evitando erros e resultados desagradáveis em funções.

O que curti na palestra dele é que, de forma irônica, ele também comemorou um pouco o título do Grêmio, hahahahahahaha

Teve uma palestra muuuuito massa do Fuad Saud, sobre como o Nubank resolveu alguns probleminhas que eles tinham de ter que toda hora dar deploy para a store dos dispositivos móveis para que o cliente tivesse acesso a algumas funcionalidades novas, principalmente em partes de cadastro.

Teve a Débora falando sobre desenvolvimento multiplataforma e suas vantagens. Ela é uma fofa e adorei sua didática!

E pra finalizar com chave de ouro, teve a fantástica da Cynthia, que tive o imenso prazer de conhecer, que encabeça um projeto que começou no Rio Grande do Sul, chamado womakerscode! Ela trabalha na Microsoft e contou um pouco de algumas ferramentas para melhorar e compreender a performance da sua aplicação web. A mais bacana foi uma nova, lançada pela própria Microsoft, chamada Sonar! O Sonar é incrível: além dele falar como anda a performance do seu site, ele ainda diz se ele está ok para ser um PWA.

Mas tá, o que é PWA?

Digamos que PWA são aplicações web com potencial para se transformarem em aplicativos de store de dispositivos móveis. Só que você não precisa ir até uma store (Google Play, por exemplo) e baixar: você pode simplesmente criar um atalho para a tela inicial. Ele salva suas informações no cache e funciona exatamente como um aplicativo, mas no navegador do seu celular. Incrível, né? É muito mais simples do que toda a função de subir uma aplicação, depender de atualizações…

Além do Sonar, ela falou de outras ferramentas, como o WebPageTest. Mas a melhor mensagem foi tudo o que ela disse sobre diversidade, ajudarmos uns aos outros no meio da tecnologia e… BAM! Vai rolar evento de TI para mulheres no dia 31 de março, aqui em Porto Alegre! Eu estou surtaaaaando e com certeza quero ajudar MUITO. Bora lá!

O evento foi fantástico e superou minhas expectativas. Estou ansiosa para o próximo ano! Yaaaaaaassssssss!

Até mais pessoal :)

Tecnologia

#8 MeetUp de Node.js em Porto Alegre

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA MELHOR FOTO! VALEU HENRIQUE!!!

OLÁAAAAA PESSOARRRRRRRRRRR! Tudo bem? Hoje vou falar um pouquinho do evento de Node.js que rolou ontem (10/10) na sede da e-Core aqui em Porto Alegre! E, de fato, o evento foi 10/10!!!

Pra quem não sabe, a comunidade de Node.js se reúne pra abordar um pouco dos temas dessa tecnologia mensalmente. A Umbler tá sempre por lá, apoiando os eventos e fomentando o aprendizado do pessoal!

Só que dessa vez o negócio ia ser diferente pra mim: eu não ia ficar só na plateia. Eu também ia palestrar! GENTE, QUE NERVOSO! Hahahahahaha O convite foi carinhosamente feito pelo Henrique Schreiner, o organizador do evento. Era uma imensa responsabilidade, já que estamos falando de uma grande comunidade sempre muito ativa nos meetups, além do fato de que eu seria a primeira mulher/menina/garota/socorro a palestrar lá! NOSSA!

Depois da ajuda do grande e incrível time de devs, infra e de comunidade da Umbler, que me deram vários feedbacks sobre minha palestra e auxiliaram a deixar o negócio 100%, fui até o meetup encarar o desafio!

E foi a melhor coisa possível!!! A minha primeira palestra pública foi um “suuuuuuuuucesso”! O pessoal parecia bem atento e, apesar de na hora de abrir perguntas não terem me perguntado nada (o que me deu um medinho rsrs), depois largaram a vergonha e começaram a fazer várias perguntas! Tanto sobre a empresa que trabalho quanto sobre o tema!

Mas tá Camilla, que que cê falou?

Eu foquei em como a Umbler resolveu alguns de seus problemas internos e externos utilizando Node. Todo mundo aqui ama Node e sempre quis cases pra testar essa tecnologia. Algumas oportunidades surgiram e TCHARÃAAAAA, nós aproveitamos!

Você pode ver a palestra aqui, no canal do meetup!

O primeiro case bem sucedido que utiliza Node foi o Goodbye.Host! Nós, daqui do suporte, sempre tínhamos problemas de migração de dados de clientes. Tanto de sites, quanto databases, emails… era muito caótico! Imagina ter que fazer migrações de clientes enormes manualmente? As coisas foram ficando cada vez mais difíceis a medida que a empresa ia crescendo. Então, precisávamos tomar uma atitude para que as migrações fossem seguras e escaláveis.

Então surgiu o Goodbye.Host. Não da forma como conhecemos hoje, vide o link que disponibilizo aqui. Mas era um script em Perl em que os dados do cara eram inputados e rodados no servidor. Não era escalável, pois tinha que ser um script rodando por vez. E ainda não era seguro, pois tínhamos acesso às informações dos clientes. Porém, já era algo, né?

Depois de muito pensar, resolvemos que o Goodbye poderia ser nosso teste para tecnologias que estavam (e estão) sendo muito faladas, como Docker e Node.js. O Goodbye surgiu da necessidade e vontade de transformar a migração em algo seguro, escalável e que o próprio cliente pudesse fazer se ele quisesse. Os dados inputados pelo cliente morrem no contêiner Docker: não sabemos quem migrou e o que foi migrado. Nunca. Olha que incrível!

MASSSS NÃO É SÓ ISSO! A Umbler também utiliza Node.js para ferramentas internas de verificação de DNS e ciclo de vida de clientes, para ofertar créditos promocionais dentro do nosso dashboard a medida que o cara vai utilizando corretamente nossas features. Além disso, HOSPEDAMOS NODE.JS! E você pode ver mais sobre isso aqui, parça!

Falando sobre as outras palestras (pretendo me aprofundar melhor sobre a minha em algum outro momento aqui no blog), o Waldemar Neto falou sobre o Ecmascript 8.5! Ele nos deu um comparativo bacana sobre versões anteriores e as novas funcionalidades do Ecmascript em sua mais recente versão. Gente, o Waldemar é um cara muito engraçado! Soube fazer uma apresentação bem dinâmica e, apesar de ser um tema extremamente técnico, não ficou cansativo. Esse pessoal de Node arrasa :D

Por fim, tivemos o Henrique, organizador dos meetups, que falou um pouco sobre Getters e Setters no Javascript. O que achei mais legal é que não rolou slide. Simplesmente um Visual Studio Code (parecia ser um, hahahaha) e ele demonstrou exemplos de como utilizar essa funcionalidade do Javascript. Ele falou um pouquinho também sobre “syntax sugar”. Cê tá meio perdido? Cê pode ver mais sobre isso aqui.

Gente, eu amo os eventos de Node e espero poder contribuir cada vez mais pra comunidade. Antes de dar meu adeus, quero dizer que tá rolando votação pra escolher as palestras que completarão a grade do DevDay.RS que rolará dia 18/11 aqui em Porto Alegre E MINHA PALESTRA TÁ NA RETAAAAAAA YASSSSSSS Pra votar, cliquem aqui e deem uma nota massa na palestra de TORNANDO SEUS FREELAS MAIS PRODUTIVOS! Tá? Tá!

Valeu pessoal!!!