All for Joomla All for Webmasters
Buscando tag

meetup

Tecnologia

#8 MeetUp de Node.js em Porto Alegre

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA MELHOR FOTO! VALEU HENRIQUE!!!

OLÁAAAAA PESSOARRRRRRRRRRR! Tudo bem? Hoje vou falar um pouquinho do evento de Node.js que rolou ontem (10/10) na sede da e-Core aqui em Porto Alegre! E, de fato, o evento foi 10/10!!!

Pra quem não sabe, a comunidade de Node.js se reúne pra abordar um pouco dos temas dessa tecnologia mensalmente. A Umbler tá sempre por lá, apoiando os eventos e fomentando o aprendizado do pessoal!

Só que dessa vez o negócio ia ser diferente pra mim: eu não ia ficar só na plateia. Eu também ia palestrar! GENTE, QUE NERVOSO! Hahahahahaha O convite foi carinhosamente feito pelo Henrique Schreiner, o organizador do evento. Era uma imensa responsabilidade, já que estamos falando de uma grande comunidade sempre muito ativa nos meetups, além do fato de que eu seria a primeira mulher/menina/garota/socorro a palestrar lá! NOSSA!

Depois da ajuda do grande e incrível time de devs, infra e de comunidade da Umbler, que me deram vários feedbacks sobre minha palestra e auxiliaram a deixar o negócio 100%, fui até o meetup encarar o desafio!

E foi a melhor coisa possível!!! A minha primeira palestra pública foi um “suuuuuuuuucesso”! O pessoal parecia bem atento e, apesar de na hora de abrir perguntas não terem me perguntado nada (o que me deu um medinho rsrs), depois largaram a vergonha e começaram a fazer várias perguntas! Tanto sobre a empresa que trabalho quanto sobre o tema!

Mas tá Camilla, que que cê falou?

Eu foquei em como a Umbler resolveu alguns de seus problemas internos e externos utilizando Node. Todo mundo aqui ama Node e sempre quis cases pra testar essa tecnologia. Algumas oportunidades surgiram e TCHARÃAAAAA, nós aproveitamos!

Você pode ver a palestra aqui, no canal do meetup!

O primeiro case bem sucedido que utiliza Node foi o Goodbye.Host! Nós, daqui do suporte, sempre tínhamos problemas de migração de dados de clientes. Tanto de sites, quanto databases, emails… era muito caótico! Imagina ter que fazer migrações de clientes enormes manualmente? As coisas foram ficando cada vez mais difíceis a medida que a empresa ia crescendo. Então, precisávamos tomar uma atitude para que as migrações fossem seguras e escaláveis.

Então surgiu o Goodbye.Host. Não da forma como conhecemos hoje, vide o link que disponibilizo aqui. Mas era um script em Perl em que os dados do cara eram inputados e rodados no servidor. Não era escalável, pois tinha que ser um script rodando por vez. E ainda não era seguro, pois tínhamos acesso às informações dos clientes. Porém, já era algo, né?

Depois de muito pensar, resolvemos que o Goodbye poderia ser nosso teste para tecnologias que estavam (e estão) sendo muito faladas, como Docker e Node.js. O Goodbye surgiu da necessidade e vontade de transformar a migração em algo seguro, escalável e que o próprio cliente pudesse fazer se ele quisesse. Os dados inputados pelo cliente morrem no contêiner Docker: não sabemos quem migrou e o que foi migrado. Nunca. Olha que incrível!

MASSSS NÃO É SÓ ISSO! A Umbler também utiliza Node.js para ferramentas internas de verificação de DNS e ciclo de vida de clientes, para ofertar créditos promocionais dentro do nosso dashboard a medida que o cara vai utilizando corretamente nossas features. Além disso, HOSPEDAMOS NODE.JS! E você pode ver mais sobre isso aqui, parça!

Falando sobre as outras palestras (pretendo me aprofundar melhor sobre a minha em algum outro momento aqui no blog), o Waldemar Neto falou sobre o Ecmascript 8.5! Ele nos deu um comparativo bacana sobre versões anteriores e as novas funcionalidades do Ecmascript em sua mais recente versão. Gente, o Waldemar é um cara muito engraçado! Soube fazer uma apresentação bem dinâmica e, apesar de ser um tema extremamente técnico, não ficou cansativo. Esse pessoal de Node arrasa :D

Por fim, tivemos o Henrique, organizador dos meetups, que falou um pouco sobre Getters e Setters no Javascript. O que achei mais legal é que não rolou slide. Simplesmente um Visual Studio Code (parecia ser um, hahahaha) e ele demonstrou exemplos de como utilizar essa funcionalidade do Javascript. Ele falou um pouquinho também sobre “syntax sugar”. Cê tá meio perdido? Cê pode ver mais sobre isso aqui.

Gente, eu amo os eventos de Node e espero poder contribuir cada vez mais pra comunidade. Antes de dar meu adeus, quero dizer que tá rolando votação pra escolher as palestras que completarão a grade do DevDay.RS que rolará dia 18/11 aqui em Porto Alegre E MINHA PALESTRA TÁ NA RETAAAAAAA YASSSSSSS Pra votar, cliquem aqui e deem uma nota massa na palestra de TORNANDO SEUS FREELAS MAIS PRODUTIVOS! Tá? Tá!

Valeu pessoal!!!

Tecnologia

Meetup de Docker

quem vê pensa que eu sou gente RISOS

E aí galera, como vai? A louca dos eventos tá aqui de novo pra falar sobre o Meetup de Docker e a minha emoção de participar do meu primeiro fishbowl. Não sabe o que é? Cê não sabe nem o que é Docker? MEU DEUS, vamos lá então!

Primeiro cê vai ler aqui o que é Docker, tá? Agora cê lê o post!

Quarta-feira passada (04/10) rolou um Meetup de Docker no Tecnopuc! Pra quem não sabe, os Meetups reúnem pessoas de uma comunidade com o intuito de agregar conhecimento.

nunca me canso desse gif gente dsclp

Vou falar um pouquinho sobre como foram as palestras e como foi o fishbowl! Bom, a gente abriu o evento com o Cristiano metendo bala em como funciona o Meetup, pra gente sempre que quiser enviar nossas sugestões e nossos trabalhos, além de enfatizar alguns próximos eventos que irão rolar aqui em Porto Alegre com foco em tecnologia, que são o The Developer’s Conference e o DevDay :)

A primeira apresentação foi a do Somatório, em que o mesmo falou sobre como ele roda aplicações GUI com o Docker. Tipo, olha que viagem: o cara praticamente roda a vida dele no Docker. Imagens, browser, JOGOS (como o Minecraft WTF): tudo em Docker! E ele deu algumas dicas pra que isso fique mais fácil pro pessoal. Óbvio que estoura uns erros aqui, umas dificuldades ali… mas se for fácil não tem graça nenhuma, né?

O Somatório pode explicar muito melhor que eu todos os perrengues e felicidades de rodar aplicativos dentro do Docker através do post do blog dele. O cara é bem crânio pro negócio! Eu confesso que fiquei um pouco perdida pois sou nova nesse mundo do Docker, então tudo que fiz foi admirar essa mente brilhante e pensar: tá, um dia eu quero tentar isso aí, hein?

A segunda palestra foi muuuuito bacana e eu consegui me inteirar melhor: o Sebastian Webber falou sobre um projeto que a empresa dele tinha e que queriam muuuuuitíssimo aplicar Docker porque parecia ser muito massa! Porém, não deu certo! Ué, mas que p* é essa do cara me apresentar num Meetup de Docker um projeto que NÃO DEU certo em Docker?

É aí que entra a grande graça da coisa: a galera sempre aparece nos eventos pra falar de cases de sucesso. E tudo que a gente pensa é: nossa, que cara foda. Mas será que aquele cara foda não passou muitos problemas até o case ser um sucesso? É claro que sim! E por que não passar pras pessoas a dificuldade que você passou numa implementação, pra facilitar a vida de tantas outras pessoas da área? Esse foi um dos assuntos do fishbowl!

GENTE, ESSE FOI MEU PRIMEIRO FISHBOWL AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

Os caras ali, só falando coisas técnicas, e eu toda “meu deus eu quero falar mas eu n sei o q falar socorro aaaaa”. E aí entrou numa questão muito legal: aplicar tecnologias em projetos porque a tecnologia é modinha.

Olha que loucura! Por isso que fishbowl é o canal: cê tá falando de uma coisa e do nada vem outra!!! E todo mundo pode falar, inclusive trocar assuntos.

Tá, mas o que é fishbowl?

O Fishbowl é um formato de discussão em grupo que promove o diálogo e a troca de experiência entre os participantes da sessão e permite que todos tenham as mesmas chances de opinar e expressar seus pontos de vista. (Saiba mais em Agile Trends)

EU E OUTRA MINA MARAVILHOSA DA THOUGHTWORKS de camisetas code like a girl aaaaaaaaa

Resumindooooo: foi muito massa porque a gente começou a falar que não dá pra ser nem 8 nem 80! A gente não pode sair aplicando duzentas mil tecnologias legais e do momento num projeto que simplesmente não se encaixa nisso! E foi exatamente o que aconteceu no projeto do Sebastian: era tanta coisa legal numa coisa só que virou uma zona! Que tal simplificar e esperar o momento certo pra aplicar?

Da mesma forma que não podemos ser cabeça-dura e impedir novas tecnologias nos projetos (como muitos devs fazem), também não podemos querer abraçar o mundo. Uma tecnologia de cada vez, né? Ou algumas! Hahahahaha

É isso aí eeeeeee vejo vocês agora terça que vem no evento de Node.js (Meetup dia 10/10 na eCore aqui em POA) que EU VOU PALESTRAR AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA (rindo de nervoso)

(é o famoso to feliz mas to puto)

Beijos!!!

Tecnologia

MeetUp de PHP: PHP TestFest Setup

eu muito sansa sim tentando entender os contêineres da vida

Ontem rolou um evento bem bacana aqui na sede da Umbler, em Gravataí. Fiquei bem feliz porque acho o espaço que a empresa disponibiliza pra esse tipo de coisa muuuuito legal :D E o evento foi de PHP, que apesar de não ser lá minha linguagem de programação favorita, foi a primeira de back-end que eu tive contato, por causa do WordPress!

Mas afinal de contas, o que seria um PHPTestFest? Trata-se de uma iniciativa da comunidade para testar funcionalidades de uma versão que está para sair. No caso do PHP, essa versão será a 7.2. A ideia do PHPTestFest que será feito no Rio Grande do Sul é de dividir o evento em duas etapas, onde uma delas foi ontem. Nesta primeira etapa, é feita uma introdução ao evento e também são demonstrados os primeiros passos para, quando houver a segunda parte, já estar com o ambiente de testes pronto.

Os primeiros passos para se organizar para o grande dia são:

  • Instalar o Docker.
  • Instalar o contêiner do php-qa.
  • Escrever testes.

Eu sou a típica programadora go horse que sai escrevendo direto em ambiente de produção e simplesmente ~caga~ pra ambientes múltiplos e pra testes, então toda vez que esse assunto vem à tona eu fico meio ZzZzZzZ

MAS EU TÔ ERRADA!

Sinceramente é MUITO importante que façamos testes para evitar uma série de problemas que vão desde o deploy até a utilização do usuário final. A iniciativa de testar uma linguagem e contribuir com o crescimento dela é algo que além de acrescentar muito no currículo (já que isso é bem difícil de vir de brasileiros…) dá aquele orgulhinho de: eu faço parte disso!

E quem fizer os testes mais eficientes vai ganhar prêmios. Quais? A galera ainda está definindo. Mas só de saber que dá pra ganhar coisa a gente já fica meio:

Existe um passo a passo mais detalhado de como fazer a instalação e deixar o ambiente de setup engatilhado para a próxima fase. Ele pode ser visto aqui.

A apresentação do MeetUp em si foi bem rapidinha, pois infelizmente choveu muito e tinham poucas pessoas, mas é aquela coisa, né? O importante não é quantidade e sim qualidade hahahahahaha No final rolou pizza e um bate-papo topper sobre a nossa área em geral. Todas as coisas que envolvem lidar com programadores mais velhos, programadores que acham que você tem que nascer sabendo uma linguagem de programação e que seu software não precisa ser nem um pouco documentado: se o cara for bom tem que bater o olho e sair programando.

Infelizmente a questão de testes, até como eu falei lá em cima, às vezes é um pouco subestimada na área de TI. Aqui na Umbler a gente sempre foca em fazer algo com bastante qualidade, e isso inclui uma série de coisas, incluindo refatoração e testes.

Dá pra perceber que quando vão falar de testes em um evento os programadores já ficam meio ZzZzZzZzzZz, MAS É algo que a gente precisa encarar o preconceito e evoluir :D

Bom, acho que é isso. Foi algo bem rapidinho mas importante, então tô indo nessa! É nóis!

Para acompanhar os próximos MeetUps de PHP, acessem aqui.