All for Joomla All for Webmasters
Reflexões Textos

não somos macacos não!

a deusa mais fabulosa da marvel é negra SIM ♥

[E] o que fazer quando uma campanha que seria contra o racismo usa alcunha racista para defender os negros, vem de uma agência publicitária e é utilizada de forma oportunista para vender camisetas de grife? A polêmica da semana é a campanha #somostodosmacacos, iniciada por Neymar. Seria uma pena se a campanha não fosse tão inocente quanto sugere. Sou branca, mas com certeza apoio a luta dos meus amigos negros, mesmo que não protagonizando (e nem deveria!) o movimento negro. A revolta de meus amigos é grande… e não é pra menos. Afinal, que propaganda antiracista é essa que comete racismo?

Em 1906, um pigmeu chamado Ota Benga ficou no zoológico do Bronx, em New York, em exposição junto com macacos. Ota saiu do Congo para ser motivo de piada e também de “comprovação” do chamado darwinismo social, inferiorizando a raça negra e sua capacidade intelectual. Ideia que anos depois foi defendida por nada mais, nada menos, que Adolf Hitler. Ou seja: acho que não é muito legal ser chamado de macaco, não?

essa imagem é toda ridícula, socorro!

É nada menos do que hipócrita sair levantando bananas e postando selfies quando se é branco e jamais será preso por conta de sua cor. Jamais serão humilhados ou atestados como bandidos por serem negros. Jamais terão seu estético inferiorizado pelo estético europeu, tendo negros que se submeterem a procedimentos estéticos como cirurgias, alisamentos de cabelo e até mesmo clareamentos de pele para se sentirem mais incluídos socialmente. Jamais terão que ser colocados como “cota” numa universidade, por não terem tido uma educação de qualidade, e muitas vezes nem entrando nas universidades por isso. Jamais serão a maioria em trabalhos como garis, empregadas domésticas, e seus direitos trabalhistas sendo ignorados por muitos. Jamais serão arrastados por policiais, como ocorreu com Claudia. Jamais serão torturados em uma UPP, como Amarildo. Jamais morrerão como DG. Jamais serão estigmatizados como bandidos. Jamais serão inferiorizados por sua melanina. Jamais serão vistos como objeto sexual (tanto homens negros quanto mulheres). Jamais terão de aceitar piadinhas para se sentirem incluídos ou “para não o verem como um radical”. Então, se você não passa por nenhum desses problemas, não, você não é macaco. Você está tomando posse do discurso negro apenas para falsamente se sentir incluído no processo contra a discriminação racial, mas na realidade, você faz parte dele. Pessoas que erguem suas bananas para proclamar o fim do racismo mas rejeitam notícias como a absolvição de Danilo Gentili no processo em que ele é acusado de oferecer banana a um internauta negro (link aqui). Sendo assim, até onde vai a sua luta contra o racismo? Mera modinha? Sua luta pode ser moda, mas o racismo é diário, e deve ser desconstruído dia após dia.

Utilizar “macaco”, uma alcunha preconceituosa, para uma campanha antiracista é reafirmar o racismo. Ninguém quer ser chamado de macaco. E numa piada, quando negros são chamados assim, tudo passa como um humor. Humor sem inclusão social não é humor. É preconceito. Aonde estão as campanhas então #somostodosveados, #somostodosvadias? Aonde está a luta pelo fim da homofobia constante e praticamente ignorada no mundo do futebol? Aonde está a campanha antimachista dentro dos estádios, onde mulheres não podem protagonizar juntamente com os homens o esporte mais popular da terra, sem serem caçoadas, humilhadas, mal-tratadas e expostas ao ridículo? Aonde está a luta pela transfobia, constantemente ignorada, como se transsexuais não fossem gente? O que é protestar? Tirar selfies racistas? A que ponto a internet chegou em propagar ignorância?

essa sim deveria ser a estampa da camiseta do huck!

A campanha inocente de Neymar começou por uma ideia da agência publicitária Loducca. Há quem aponta que na realidade, toda a história da banana foi puro marketing, já que quem faria isso inicialmente (o ato de comer a banana) seria Neymar e que o homem que tacou a banana foi até mesmo pago para isso. E não é de se duvidar, já que a história tomou proporções gigantescas (e internacionais), sendo capa até mesmo da boring Veja e usada como ganho de capital com as camisetas de apenas R$70 vendidas pela grife do nada oportunista Luciano Huck. É o racismo agora sendo usado para ganhar dinheiro!

Sendo arranjado ou não, Daniel Alves, como negro, trata o racismo da forma que lhe achar melhor, da mesma forma que eu devo tomar a minha própria decisão ao ouvir algo com teor machista, e ninguém deve se meter nisso. Porém, há um ponto interessante, ressaltado por Douglas Belchior, um negro também:

“Daniel Alves, Neymar, Dante, Balotelli e outros tantos jogadores de alto nível e salários pouca chance terão de ser confundidos com um assaltante e de ficar presos alguns dias como no caso do ator Vinícius; pouco provavelmente serão desaparecidos, depois de torturados e mortos, como foi Amarildo; nada indica que possam ter seus corpos arrastados por um carro da polícia como foi Cláudia ou ainda, não terão que correr da polícia e acabar sem vida com seus corpos jogados em uma creche qualquer. Apesar das bananas, dificilmente serão tratados como animais, ao buscarem vida digna como refugiados em algum país cordial, de franca democracia racial, assim como as centenas de Haitianos o fazem no Acre e em São Paulo.

Há um provérbio africano que diz: “Cada um vê o sol do meio dia a partir da janela de sua casa”. Do lugar de onde Daniel fala, do estrelato esportivo, dos ganhos milionários, da vida feita na Europa, da titularidade na seleção brasileira de futebol, para ele, isso é o melhor – e mais confortável, a se fazer: ignorar e rir. Vamos fazer piada! Vamos olhar para esses idiotas racistas e dizer: sou rico, seu babaca! Sou famoso! Tenho 5 Ferraris, idiota! Pode jogar bananas à vontade!”


nicki deusa pra essa campanha…

O racismo não deve ser motivo de piada. O racismo não deve ser ignorado. O racismo deve ser combatido. Sem bananas. E sim com conscientização. Eu não sou macaca! Pois sei que, como branca, infelizmente tenho meus privilégios sociais sobre os negros. Jamais vou passar as humilhações que estes passam sem merecerem, simplesmente por ignorância histórica e social. E os negros? Estes não são mesmo macacos! São seres humanos como todos nós, que devem ser respeitados, e o preconceito contra eles, combatido.

Empunhar bananas é empunhar preconceito. Empunhem conhecimento e desconstrução do pensamento racista. Este sim, fará a sociedade dar passos.

Veja outros links bacaninhas:

  • Contra o racismo nada de bananas! (por Negro Belchior)
  • #somostodosmacacos foi criado por agência publicitária junto com Neymar!
  • Neymar afirma em entrevista não ser negro e por isso, não sofrer racismo
  • Agora, pra encerrar, Die Toten Hosen e um cover de Sheena Is A PunkRocker, dos Ramones

    Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

    You Might Also Like

  • Zombie
    06/05/2014 at 3:08 pm

    Acho que o racismo e o machismo são as únicas coisas que impedem com que a sociedade evolua.
    Já não basta quererem fazer uma “campanha” de marketing, ainda tem que usar um assunto sério para faze dinheiro. O mundo hoje em dia, anda tão destruído que deveríamos devolver para os índios!
    Ironia mesmo é uma pessoa branca falar que não há mais racismo, ela nunca vai conviver com o racismo pra saber como é, o que ela sabe é o que contam pra ela. Ninguém é macaco, e fazer uma campanha contra o racismo chamando negros de macaco é o cúmulo ¬¬ É pra dizer que é contra o racismo só apoiando o racismo…
    http://zombieesvg.blogspot.com.br/**

  • Gabrielly Rosa
    06/05/2014 at 9:20 pm

    finalmente alguém que pensa igual a mim.

    Beijos, G.R ♥
    http://gabriellyrosa.blogspot.com

  • clay
    07/05/2014 at 11:50 am

    Somos todos macacos, disse a pessoa que muda de calçada, corre ao ver um negro a noite andando na calçada por medo de ser assaltado..

    Campanha ridicula, mais ainda foi a matéria na Veja falando que isso colocou fim no preconceito, a banana fez tudo isso ahan..
    Na proxima alguém deve jogar livros no campo ¬¬

    E o luciano foi ridiculo hahahaha, mas eu ri com os comentários da foto

  • Laura_Bianca
    09/05/2014 at 10:04 am

    Eu fiquei pensando nisso quando vi sobre essa campanha, e nem tinha entendido direito porque tinham falado que ela não era tão inocente, mas com seu post fui entender melhor. Poxa, não somos macacos mesmo não, nem nós brancos, nem os negros, ninguém, afinal, macacos e humanos são de espécies diferentes, e o macaco nunca que foi “homo sapiens” (homem sábio), e não é porque a pessoa tem a cor da pele diferente que ela vai ser menos inteligente. Só achei certo o jogador ter comido a banana, afinal, banana é alimento, não é coisa pra ficar jogando por aí.♥

    PiinkCookie.blogspot.com

  • Natasha
    09/05/2014 at 7:34 pm

    Assino em baixo.

  • Gabriel Borges
    12/05/2014 at 1:32 am

    Camilla, na hora que eu vi o post do Neymar, poucos minutos depois dele postar, fiquei super indignado com a atitude dele e achei absurdo o uso da tag mesmo fazendo referencia que o homem veio do macaco e tal…

    Quando o Luciano lançou as camisetas, achei mais absurdo ainda. E achei mais absurdo ainda que as bananas são pretas porque sei lá, também soa com um “tom” preconceituoso.

    Não quero nem comentar mais disso, já discuti muito sobre isso e dando minha opinião. Muita gente discorda comigo sobre eu não concordar com esse “protesto” contra o preconceito :/

    Ah, voltei com um blog mas estou no http://brgs.ga/

    Beijo.

  • Lari
    12/05/2014 at 10:43 am

    Bom dia >u<

    Concordo contigo Camilla, chega até a ser ridículo fazerem algo contra o racismo que tenha racismo !

    Passando para retribuir seu comentário e agradecer o carinho. Avisando que tem novo post no blog, confere?
    Beijos, Deus abençoe