All for Joomla All for Webmasters
Tecnologia

Meetup de Docker

quem vê pensa que eu sou gente RISOS

E aí galera, como vai? A louca dos eventos tá aqui de novo pra falar sobre o Meetup de Docker e a minha emoção de participar do meu primeiro fishbowl. Não sabe o que é? Cê não sabe nem o que é Docker? MEU DEUS, vamos lá então!

Primeiro cê vai ler aqui o que é Docker, tá? Agora cê lê o post!

Quarta-feira passada (04/10) rolou um Meetup de Docker no Tecnopuc! Pra quem não sabe, os Meetups reúnem pessoas de uma comunidade com o intuito de agregar conhecimento.

nunca me canso desse gif gente dsclp

Vou falar um pouquinho sobre como foram as palestras e como foi o fishbowl! Bom, a gente abriu o evento com o Cristiano metendo bala em como funciona o Meetup, pra gente sempre que quiser enviar nossas sugestões e nossos trabalhos, além de enfatizar alguns próximos eventos que irão rolar aqui em Porto Alegre com foco em tecnologia, que são o The Developer’s Conference e o DevDay :)

A primeira apresentação foi a do Somatório, em que o mesmo falou sobre como ele roda aplicações GUI com o Docker. Tipo, olha que viagem: o cara praticamente roda a vida dele no Docker. Imagens, browser, JOGOS (como o Minecraft WTF): tudo em Docker! E ele deu algumas dicas pra que isso fique mais fácil pro pessoal. Óbvio que estoura uns erros aqui, umas dificuldades ali… mas se for fácil não tem graça nenhuma, né?

O Somatório pode explicar muito melhor que eu todos os perrengues e felicidades de rodar aplicativos dentro do Docker através do post do blog dele. O cara é bem crânio pro negócio! Eu confesso que fiquei um pouco perdida pois sou nova nesse mundo do Docker, então tudo que fiz foi admirar essa mente brilhante e pensar: tá, um dia eu quero tentar isso aí, hein?

A segunda palestra foi muuuuito bacana e eu consegui me inteirar melhor: o Sebastian Webber falou sobre um projeto que a empresa dele tinha e que queriam muuuuuitíssimo aplicar Docker porque parecia ser muito massa! Porém, não deu certo! Ué, mas que p* é essa do cara me apresentar num Meetup de Docker um projeto que NÃO DEU certo em Docker?

É aí que entra a grande graça da coisa: a galera sempre aparece nos eventos pra falar de cases de sucesso. E tudo que a gente pensa é: nossa, que cara foda. Mas será que aquele cara foda não passou muitos problemas até o case ser um sucesso? É claro que sim! E por que não passar pras pessoas a dificuldade que você passou numa implementação, pra facilitar a vida de tantas outras pessoas da área? Esse foi um dos assuntos do fishbowl!

GENTE, ESSE FOI MEU PRIMEIRO FISHBOWL AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

Os caras ali, só falando coisas técnicas, e eu toda “meu deus eu quero falar mas eu n sei o q falar socorro aaaaa”. E aí entrou numa questão muito legal: aplicar tecnologias em projetos porque a tecnologia é modinha.

Olha que loucura! Por isso que fishbowl é o canal: cê tá falando de uma coisa e do nada vem outra!!! E todo mundo pode falar, inclusive trocar assuntos.

Tá, mas o que é fishbowl?

O Fishbowl é um formato de discussão em grupo que promove o diálogo e a troca de experiência entre os participantes da sessão e permite que todos tenham as mesmas chances de opinar e expressar seus pontos de vista. (Saiba mais em Agile Trends)

EU E OUTRA MINA MARAVILHOSA DA THOUGHTWORKS de camisetas code like a girl aaaaaaaaa

Resumindooooo: foi muito massa porque a gente começou a falar que não dá pra ser nem 8 nem 80! A gente não pode sair aplicando duzentas mil tecnologias legais e do momento num projeto que simplesmente não se encaixa nisso! E foi exatamente o que aconteceu no projeto do Sebastian: era tanta coisa legal numa coisa só que virou uma zona! Que tal simplificar e esperar o momento certo pra aplicar?

Da mesma forma que não podemos ser cabeça-dura e impedir novas tecnologias nos projetos (como muitos devs fazem), também não podemos querer abraçar o mundo. Uma tecnologia de cada vez, né? Ou algumas! Hahahahaha

É isso aí eeeeeee vejo vocês agora terça que vem no evento de Node.js (Meetup dia 10/10 na eCore aqui em POA) que EU VOU PALESTRAR AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA (rindo de nervoso)

(é o famoso to feliz mas to puto)

Beijos!!!

Tecnologia

Roadsec Porto Alegre

Eaí pessoal, como é que tá? Hoje eu vou falar um pouquinho de como foi o Roadsec, um evento que roda o Brazzel inteiro pra falar de segurança e hacking!

O Roadsec é um roadshow itinerante que leva um dia inteiro de atividades e conteúdo sobre hacking, segurança da informação e tecnologia por todo o país! O evento viaja por capitais brasileiras levando palestras, cursos, oficinas e também campeonatos.

Fui no evento com mais uma galera TOP da Umbler e apoiadores da empresa, e foi muito divertido! Vou falar da palestra que mais gostei e das oficinas que participei :)

A palestra foi da Roberta Robert. Não vou falar muito das outras porque eu não sou a melhor pessoa pra se falar de segurança hahahahahahah

Achei muito fofo que era a primeira palestra dela e ela estava toda vermelhinha hahahahah Ela sempre foi voluntária do evento e esse ano finalmente estava palestrando. Olha que bacana! Ela falou sobre a famosa rixa entre pentesters e desenvolvedores. Essa sem dúvida foi a palestra que eu mais gostei, porque sempre que aparece a palavra TESTE nos eventos de TI eu faço igual esse meme:

Eu já sei que nós desenvolvedores temos que testar mas até antes da Umbler eu tinha um pensamento EXTREME GO HORSE que meus amigos de equipe ficavam realmente “pistolas” (pra não falar outra coisa rsrs) pois eu era a louca que testava tudo em produção mesmo existindo múltiplos ambientes. DEV? HML? Gente, que isso? METE LOGO EM PROD MEUUUUUUU

Aí numa dessa fiz um update sem “and” (nem foi sem where como todo mundo zoa) e eu destruí umas 1800 linhas de banco.

Pensem no meu ex-coordenador. Sim, ele ficou bem pistola. A verdadeira DEFINIÇÃO de pistola. Hahahahaha

Aí eu comecei a usar contra minha vontade esses negócios de teste e tal… AÍ CHEGOU A UMBLER! E aí na Umbler eu TENHO que fazer isso, pois é um lugar muito legal e eu não quero perder meu emprego. Hahahaha Então aos poucos a minha mentalidade “tudo em prod” está se esvaindo. E essa palestra foi uma ótima oportunidade pra isso. Porque foi JUSTAMENTE SOBRE ISSO que ela falou.

A Roberta recém entrou no mundo DEV back-end e eu também. Eu não estou faz um ano nesse mundo. E ela está há um pouco menos: 7 meses. E já fazendo palestra, contribuindo com a comunidade. Acho isso tão lindo :) E é o que eu quero fazer também!

Ela comentou um pouco sobre TDD e SDD, como funcionam as questões de desenvolvimento e testes na empresa dela (ThoughtWorks) e até mesmo como ela leva as ideias pra lá: como é tudo muito horizontal, é só o pessoal concordar que tá feito! Aqui na Umbler é assim também, graças a Charmander!

FALANDO EM CHARMANDER eu não acredito que fui um ser humano de exatas que caiu na armadilha das miçangas. Mas eram MIÇANGAS DE EXATAS #ta

Gente eu fiz um Charmander super bonitinho com um lance chamado PIXEL BEADS mas que até ontem pra mim era MIGANÇA DE EXATAS então vai ficar assim! Foi tão eficiente que até o @roadsec no twitter compartilhou E POSTARAM MEU CHARMANDER AAAAAAAAAAAAAA

em dois minutos TRÊS CURTIDAS EU SOU O PODER

Depois eu, 100% Fazenda da Juta (uma parte de um bairro muito massa e periférico de São Paulo) me aventurei no Lock Picking (TENTAR ABRIR CADEADOS no modo go horse com ferramentas). Pensei “AH SOU MALOQUEIRA NÉ MEU VAMOS ABRIR OS CADEADOS MANO” (boça vibes)

Claro que eu fui um desastre e não abri nada. Vou continuar fazendo meu tráfico de freelas mesmo que tá de bom tamanho.

Teve COMPETIÇÃO de QR CODE (na real Cryptorace HAHAHAHA) em que meus amigos tops (da Umbler o Uriel) e o @ZionFagundes tentaram desvendar os cryptos das paredes e dos cadernos que disponibilizaram pra competição.

Gente, teve até sarrada no Roadsec! Tocou inclusive uma das músicas de eletrônico favoritas minhas, a I FOLLOW <3

Ai gente, eu curti o evento! E o pessoal das redes sociais do @roadsec é muito mozão!!!!!!!!!! E aí @roadsec e Umbler, vamo fechar?

Até a próxima gente!!!

Tecnologia

TcheLinux de Bento Gonçalves

É NOIS NA UNIVERSIDADE DE CAXIAS SIM

E aí pessoal, tudo tranquilo? Sábado agora rolou outro Tchelinux: desta vez em Bento Gonçalves! Vou contar um pouco mais pra vocês como foi o evento :D

Eu nem preciso dizer que fiz uma loucuragem pra ir no evento em Bento, né? Eu simplesmente fui numa festa, virei a noite na festa, cheguei em casa 5h da manhã e de lá fui pro ponto de encontro da viagem. Como eu sobrevivi? Além do evento ser massa, é porque tinha MUITO CAFÉ! HUAHUAHUAHUA

Chegando lá, rolou a burocracia de sempre: credenciamento, apresentação do Tchelinux, os dados maravilhosos de pessoas que já passaram pelo evento e de doações de alimentos para famílias carentes, etc. Aí, começaram as apresentações!

A primeira que vi foi do DEUS TOP Matofino, que falou sobre a utilização de MongoDB com Docker. Ele ensinou como rodar uma aplicaçãozinha em MongoDB dentro de um contêiner do Docker. A apresentação se encontra logo abaixo pra galera poder entender bem certinho:

E o mais legal da apresentação é que eu aprendi que dá para subir e rodar contêineres online, através do site Play with Docker. O seu contêiner fica online por 4h e, depois de cair, é só subir ele de novo e começar tudo do 0. Se for uma coisa fácil, nem é tão tenso começar de novo, né?

Depois, teve uma apresentação MUITO F*DA do Fernando da KingHost sobre segurança e hacking de contêineres no Docker! O pessoal adora sair igual uns doidos baixando imagens sem saber se elas são seguras e se não vão danificar algo no servidor ou na aplicação. Será que realmente o DevOps está preocupado com a segurança do Docker? O suficiente?

Pra ter uma noção de como isso é importante mas passa batido: o Fernando fez uma imagem para Docker que no nome dela dizia que havia um cavalo de troia na imagem. E não é que mais de 600 pessoas baixaram a imagem? Isso que estava no nome do projeto. Agora, imagina se está mais escondido? Sua aplicação pode estar ameaçada e você nem se dá conta.

No slide abaixo temos toda a apresentação do Fernando e ele também dá dicas das melhores ferramentas para se utilizar de segurança de Docker, desde oficiais até algumas customizadas (tanto free quanto pagas).

Depois, eu vi um pouquinho da apresentação do Ivan sobre podcasts, em que ele deu algumas dicas bem bacanas. Por exemplo, ele se importa muito mais com o conteúdo e pauta do podcast do que com questões técnicas (como microfone, mesa de som, etc). Todas essas coisas a gente dá um jeito. Já o conteúdo tem que ser bom, né? Ele comentou também como é engraçado a diferença de preparação de podcasts daqui para, por exemplo, nos EUA, onde é algo muito mais “deixa rolar” do que perfeccionista, como rola aqui. O Ivan está organizando o Tchelinux de Erechim, em que tô tentando ir (tomara que role hahahaha).

Como esta palestra começou um pouco atrasada, eu vi um pouco dela e um pouco da do Leo, em que ele deu algumas dicas de ferramentas Open Source para Cloud Computing, como: oVirt, OpenStack e OpenShift. Ele também falou bastante sobre como as grandes empresas de tecnologia adoram utilizar ferramentas opensource em seus projetos, já que elas estão sempre sendo evoluídas pela própria comunidade.

Das palestras que eu vi, foi basicamente isso ;) Foi muito bacana ir pra outra cidade participar de um evento como esse. Vou tentar ir pra Erechim agora! Se não rolar, tem Meet de Docker dia 4 e Meet de Node (com apresentação minha AEEEEEEEEEEEEEEEEEEEHOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO) dia 10!

É nois, galera!